sexta-feira, 22 de outubro de 2010

ARQUITETURA HISTORICISTA

Casas do parlamento britânico e torre do relógio (1836-1852), representantes do neogóticobritânico.


Arquitectura historicista  é o nome dado a um conjunto de estilos arquitetônicos que centrava seus esforços em recuperar e recriar a arquitetura dos tempos passados. As tendências revivalistas na arquitetura surgiram na Europa no século XVIII, atingiram seu auge no século XIX e chegaram até meados do século XX.
Dependendo da época e arquiteto, a arquitetura historicista foi mais ou menos fiel aos modelos do passado. Alguns arquitetos tentavam reproduzir fielmente os modelos antigos, enquanto que outros foram menos estritos. O revivalismo foi muito associado à arquitetura ecléctica, sendo muitas vezes arbitrário definir se uma obra pertence a um ou outro estilo. O ecletismo arquitetonico dedicava-se a misturar estilos antigos sem a rigorosidade da arquitetura revivalista propriamente dita. Apesar de usar formas do passado, tanto a arquitetura historicista como a eclética fizeram uso de técnicas modernas como as estruturas de ferro e, mais modernamente, de cimento e concreto.
O historicismo começa no século XVIII. Na Inglaterra surge nessa época a arquitetura neogótica, que atinge seu auge em obras do século XIX como o Parlamento Britânico. Também no século XVIII desenvolve-se no Norte da Europa a arquitectura neoclássica que, especialmente em sua última fase, resgata a severa harmonia dos templos greco-romanos. Estes estilos passaram rapidamente a outros países europeus e às Américas, e logo surgiram outros estilos revivalistas como o neo-renascimento, o neo-românico, o neomourisco, o neobarroco e outros.
Os estilos historicistas muitas vezes foram parte de movimentos de valorização e idealização da história nacional, assumindo um caráter nacionalista. Em Portugal, por exemplo, surgiu em meados do século XIX o neomanuelino, que revivia o estilo da época áurea das Navegações. No Brasil e em outros países da América Latina foi muito popular a partir dos anos 1910 até finais da década de 1930 o estilo neocolonial, que recriava os estilos vigentes durante a colonização


Propyläen, portal monumental em estilo neoclássico greco-romano (Munique, 1854-1862)

15 comentários:

  1. Poderiam ter colocado mais imagens, e dizer mais sobre suas caracteristicas, como isso esta relacionado com hoje em dia...

    Safira Mônica Gatto

    ResponderExcluir
  2. também existe dentro do Historiscimo o Romantismo...que buscava trazer caracteristicas, ou até mesmo arquitetura de outros lugares, trazendo a impressão de exótismo ao ser implantado em um local não percencete a ele!

    Kassieli Martiori

    ResponderExcluir
  3. Será que achamos o historicismo hoje em dia? Por exemplo será que a famigerada Havan não é uma forma distorcida do historicismo? ou ainda tantas obras que buscam reviver os conceitos históricos mas os acabam denegrindo, e os usando mal. Acredito que hoje existam tentativas frustradas de mostrar o historicismo.

    ResponderExcluir
  4. Concordo com a Samanta quando ela diz que hoje em dia dificilmente encontramos obras historicistas. Pois quando se tenta fazer releitura de alguma obra do passado o resultado final acaba sendo essas construções que hoje me dia encontramos por ai, que não são nada agradáveis de se ver.

    Angelica Brazzo Vargas

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Poderia ter mais imagens, mas as que colocaram são bem interessantes. O historicismo é muito interessante, acho as pessoas que usam ela são muito audaciosas, por que as vezes acabam por não conseguir mostrar de maneira certa. A maneira como escreveram está ótima

    Samara Guimarães

    ResponderExcluir
  7. É interessante analisar a arquitetura historicista, toda a questão da ''arquitetura parlante'' que eles passavam para as obras, e a influencia disso atualmente. Porque um edifício institucional deve ter aspecto clássico, e um igreja gótico? Infelizmente esta ideia ainda persiste e muitas obras de gosto duvidoso continuam a ser feitas em nossas cidades.

    http://www.discoveryarchi.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  8. Dependendo da época e arquiteto, a arquitetura historicista foi mais ou menos fiel aos modelos do passado. Destacando como é importanto estudarmos todas as épocas pela qual a arquitetura passou.
    Ana Paula Werlang

    ResponderExcluir
  9. Favorável ao ornamento, era o abandono claro do classicismo. Buscava-se retornar, resgatar elementos do passado como uma forma aceitável, trazendo segurança e aprovação. Por isso havia o revivalismo do gótico, pois era um período já convincente e aceito pela sociedade. A burguesia teve seu nome marcado também nesse periodo, pois provocou grande mudança na sociedade, impulsionando a arquitetura, onde podemos citar a Ópera de Paris (1861-74).

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante o texto.
    Parabéns.

    Priscilla Cavazzotto
    http://meninasdaarqui.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  11. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  12. Parabéns pelo bom texto

    Mariane Carla Sasso

    ResponderExcluir
  13. percebemos ,exemplos de alguns prédios que tentam usar o historicismo e ainda mesclar com o contemporâneo, porém em sua maioria resulta uma obra de impacto visual decadente, mostrando intenções, porém não uma boa pesquisa e mescla de correntes.

    Anderson

    ResponderExcluir
  14. O Historicismo se colocava a favor da ornamentação, era uma arquitetura de fácil interpretação e fazia uma “releitura” de obras passadas justamente por já ser algo concretizado e aceito pela sociedade. Se utilizava de novos materiais, mas os “escondia” por traz dessas obras que por sua vez era gigantescas.

    Aline Dall' Bello

    ResponderExcluir